Imbecilidade artificial, por Fabrice Hadjadj

“Eu sou tentado a pensar que o horizonte dos fabricantes de computadores não é tanto a inteligência, mas a imbecilidade artificial. Porque o imbecil não é aquele que consente ao estupor, mas aquele que tem resposta para tudo. Incapaz de se abrir ao que lhe transcende, ao outro, ao acontecimento, ele mói tudo no seu pequeno sistema. Ora, um sistema informático sabe muito bem encerrar-se num sistema. Manuseado por uma inteligência humana, pode prestar serviços; mas concebido de modo que a inteligência humana deva confiar nele, permite a imbecilidade realizar fatos notáveis”.

–– Fabrice Hadjadj, Conferência em Notre-Dame de Paris de 18 de fevereiro de 2018.

Um comentário sobre “Imbecilidade artificial, por Fabrice Hadjadj

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anti-spam device *