Freak Show

O homem novo está sempre entediado. Fabricado ideologicamente para o déficit de atenção, precisa de constante estímulo para manter-se desperto e de múltiplas drogas para conseguir dormir. Desconhece a vida real fora do laboratório.

Daí o papel de primeira linha do Freak Show em nossa subcultura: Dopar-nos.

Lo Spagnoletto já conhecia tal bizarra inclinação.

Das Mulheres barbadas à chuva de palavrões para defender os bons costumes… dos gêmeos siameses ao almofadinha defendendo a revolução démodé. Nada de sob o sol!

Só algo nos diferencia: tudo isso hoje está ao alcance de um click.

*Detalha da obra “La mujer barbuda (Magdalena Ventura con su marido)”, 1631, de José de Ribera, chamado Lo Spagnoletto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anti-spam device *